Com certeza você já percebeu que suas redes sociais agora possuem uma nova marca em suas telas de abertura. Isso aconteceu porque a empresa responsável por controlar o Facebook, Instagram e WhatsApp passou a se chamar Meta. Após tantas polêmicas referente ao vazamento de dados e informações de usuários, a mudança revela que este é o início de uma nova era para as redes sociais.
As atualizações destas redes sociais são recorrentes, cada vez mais as plataformas se tornam favoráveis à marcas e projetos que desejam posicionar seus produtos e serviços no mundo digital. Porém, tantas mudanças e atualizações, acabam por proporcionar questionamentos para os usuários e o principal deles é: Qual é o futuro das redes sociais?
As respostas ainda são tendências e previsões, já que tudo sobre tecnologia muda muito rápido. Porém, uma certeza é clara, o futuro das redes sociais é promover um mundo cada vez mais conectado. A aposta deste mundo ultraconectado é o metaverso, assunto que abordaremos na próxima produção. Por hora, vamos abordar algumas perspectivas sobre Instagram e Facebook.
Em 2020 dados da consultoria Socialbakers mostram que o total de interações no Instagram foi quase 19 vezes maior do que no Facebook entre os meses de abril, maio e junho. Em termos de audiência global, o Instagram ampliou para 31,2% a vantagem que era de 28% contra o Facebook no primeiro trimestre de 2020. Dados que comprovam o que os usuários já sentem há algum tempo, o Facebook está ficando defasado. O estudo também revelou dados do Facebook, onde o engajamento com postagens caiu expressivamente, passando de 100% em março para 50,8% durante os meses de abril, maio e parte de junho, quando voltou aos níveis normais.
Novos recursos no Instagram viralizam rapidamente! A semelhança com ferramentas disponibilizadas no Tik Tok, por exemplo, mostram que a rede social não tem intenção nenhuma de ficar para trás, oferecendo novidades e atualizações que buscam nutrir sua audiência de todos os recursos que podem estar em alta nas redes vizinhas. Em 2021, uma série de atualizações foram disponibilizadas e bem recebidas pelos usuários:
O Instagram passou a permitir a publicação de fotos e vídeos pelo computador. Outra novidade é o Instagram Collabs, ferramenta que permite que criadores de conteúdos compartilhem a autoria de uma publicação. Assim, uma foto ou vídeo podem trazer o nome de dois usuários, em vez de apenas um só, e aparecer nos dois perfis simultaneamente.
A ferramenta de transmissões ao vivo recebeu algumas melhorias no começo do ano. Em março, a companhia anunciou o recurso de Salas ao Vivo. Através dele, é possível reunir até quatro pessoas ao mesmo tempo para fazer uma live pela rede social de fotos e vídeos.
O sucesso do Clubhouse também resultou em outras funções para o Instagram Live. Recursos inspirados pelo Tik Tok também apresentam novas formas de usar a rede, é o caso da navegação entre stories na vertical, e o recurso de música em fotos do feed. Estas e muitas outras novidades compõem o aperfeiçoamento constante do Instagram, que continua a crescer na preferência dos usuários. Além disso, muitas novidades vêm por aí, em depoimento ao Senado dos Estados Unidos, o executivo do Instagram afirmou que o feed cronológico retornará em 2022.
O futuro traz muitas possibilidades, algumas esperadas, outras totalmente imprevisíveis. O que podemos concluir com as tendências de comportamento, é que as marcas, de pessoas e empresas, estão apostando expressivamente no Instagram, que tem se tornado, cada vez mais, uma vitrine mundial para produtos, serviços e ideias. As marcas, por mais amadas que sejam, possuem um engajamento inexpressivo no Facebook, enquanto o Instagram está na preferência dos usuários, que não poupam sua audiência na rede.